Sem Lugs parte I

Julho 5, 2010

Vinícius viajou hoje mais cedo e mais uma vez pude colocar em prova o meu controle de ansiedade. Na verdade, costumo ser ansioso demais no que se refere ao trabalho, sempre acabo sofrendo por antecedência nesses casos, mas quando mudo o foco da ansiedade, deixo apenas pra sofrer ou ficar nervoso na hora do tal acontecimento.

Levei super na boa todos esses meses que antecederam a viagem no Lugs e acreditei profundamente que seria mais fácil do que eu poderia imaginar toda essa coisa de despedida e é claro, a ausência que ele faria aqui no Rio. Puro engano da minha parte! Bastou iniciarmos os abraços de despedidas, senti meus olhos pesados e alagados… pensei que seria interessante esperar a mãe dele começar a chorar, mas não rolou. Nessa horas eu não sei o que é pior, segurar ou não segurar o choro? Tentei ser mais forte, mas aquela lagrima pesada acabou descendo do meu rosto. Definitivamente segurar choro é uma coisa que dói na garganta (literalmente), tal que bastou e me encontrar sozinho indo pra casa que resolvi abrir as torneiras.

De qualquer forma, acredito quem vai ser algo legal para mim, para o Lugs e para o nosso relacionamento. É a primeira vez em dois anos e meio que ficaremos um tempinho considerável afastados, talvez sirva de aula para nos fortalecer ainda mais, ou mesmo criar bônus up no sentimento de saudades…

Anúncios